Vale a pena investir em mídia impressa?

Vale a pena investir em mídia impressa?

Com a abrangência da internet hoje em dia, é muito comum que os clientes queiram fazer apenas peças digitais. A gente entende. Não tem o custo por unidade e ainda alcança um público maior. Mas o nosso coração ainda bate forte pelo impresso!

Como a gente disse, a internet atinge muito mais pessoas a um custo muito mais barato. Então, é claro que essa é uma mídia em que se deve investir. Ela pode ser até entendida como uma mídia “principal”. Se um cliente quiser te encontrar, é ali que ele vai buscar. E, por isso, é importante ter um site bonito e informativo, redes sociais que são atualizadas constantemente. Acontece que todo mundo está na internet. E, por causa disso, tudo se perde com mais facilidade.

Hoje, a gente pode pensar em uma forma de criar impressos diferente. Como eles são peças “complementares”, é possível trabalhá-los para que eles tenham mais personalidade. Que sejam peças mais conceituais, mesmo. Peças que possam ser expostas, que as pessoas queiram guardar.

Muitas marcas estão voltando a investir em revistas e livros impressos. Essas peças agregam valor não só por tangibilizar o conceito da marca, mas também por criar um senso de comunidade entre os consumidores. Eles podem se sentir “parte de um clube exclusivo” por ter aquela peça em casa.

Em tempos em que tudo pode ser feito através de aplicativos no celular, criar peças impressas demonstram cuidado, tempo, dedicação. Desde a escolha do papel até a definição de acabamentos, tudo revela que houve um trabalho manual ali, que tem uma pessoa por trás daquilo. O que torna sua marca mais humana, concordam?

Marcas pequenas muito provavelmente não terão capital para investir em peças muito elaboradas, a gente sabe. Mas um cartão de visita com um acabamento diferenciado, como um relevo ou um hot stamp, por exemplo, já cumprem a missão de se diferenciar dos outros. Além de, literalmente, imprimir mais personalidade.