Brainstorm, a tempestade de ideias

Brainstorm, a tempestade de ideias

Uma boa ideia raramente surge do nada. Sim, é possível estar andando na rua tranquilamente quando, de repente, vem aquele insight que é a solução dos seus problemas. Mas, na maioria das vezes, aquela campanha incrível nasceu depois de umas boas horas de brainstorm, de discussão e de alterações.

Uma breve explicação

Brainstorm é uma dinâmica bastante conhecida no meio criativo, em que um grupo de pessoas se junta em um mesmo ambiente com intuito de solucionar um problema de forma inovadora e criativa. A tradução livre pro termo é “tempestade de ideias” e é o conceito é esse mesmo. Em uma sessão de brainstorm, qualquer ideia acerca de um certo tópico é válida e deve ser exposta. Não vale julgar e nem criticar, tá?

Normalmente, as sessões de brainstorm são feitas em grupos. Mas nada o impede de fazer sozinho e depois validar essas ideias com outras pessoas.

O que estou fazendo aqui?

O primeiro passo é entender o que esse grupo vai tentar resolver, ou seja, qual é o problema. Por exemplo, pode ser o nome de uma nova empresa, pode ser uma nova embalagem, um posicionamento diferente… Vale buscar pesquisas, concorrentes, outras soluções que já foram utilizadas, conversar com pessoas que fazem parte desse público alvo. Quanto mais informações tiverem, melhor.

E agora? Por onde começar?

Agora que você já sabe bem o problema a ser solucionado, chegou a hora de começar. A gente já falou, mas vale ressaltar. É importante que todos os participantes estejam à vontade pra compartilhar suas ideias e sugestões, sem medo de críticas e julgamentos.

A forma mais básica de brainstorm é aquela que todo mundo conhece e faz. Cada um vai dividindo com os outros as suas ideias enquanto uma pessoa anota todas. Mas, para deixar os participantes mais confortáveis, a gente sugere que todos escrevam suas ideias em post-its e só as compartilhem no final.

Outras técnicas

1.Uma técnica criativa e inusitada é o Brainstorm Oposto. Nela, o grupo irá pensar em maneiras de chegar ao resultado oposto ao que se quer atingir. Por exemplo, uma empresa quer criar um site novo, com uma experiência melhor pro cliente. Então, o grupo irá pensar em qual a pior experiência que o cliente pode ter em um site. Entendendo o que não fazer, fica mais fácil encontrar qual caminho seguir.

2.Também temos uma técnica muito boa para naming, por exemplo. O mediador do grupo põe um timer de 1 minuto e, nesse tempo, o grupo terá que chegar no maior número possível de palavras relacionadas ao tema. Por exemplo, queremos um nome para um petshop. Podemos anotar palavras mais óbvias, como cachorro, gato, ração, até palavras que façam parte do universo, mas que não sejam tão claras, como areia (para gatos), família (já que o animal faz parte da família), crianças, e por aí vai. Lembrem- se que no brainstorm não há julgamentos. 

E como chegar no resultado final?

Algumas dinâmicas sugerem que os participantes escolham ali mesmo a ideia vencedora. Por aqui, a gente prefere selecionar algumas finalistas, refletir sobre elas, listar seus prós e contras, fazer uma pequena pesquisa com algumas outras pessoas antes de definir.

Existem inúmeras formas de fazer brainstorm e a gente com certeza não conhece todas elas. Vocês têm alguma infalível? Conta pra gente aqui nos comentários!



O que fazemos?

Criamos identidade visual, papelaria, template para o instagram, site, apresentação de vendas, etc.